Volta para página inicial Conheça o Monza Clube do Brasil Participe do Clube Confira a agenda do Monza Clube Mapa do site A maior montadora do país Um marco na indústria automobilística Parceiros do Monza Clube Shopping Fale Conosco
 
Clique aqui para voltar à página inicial do SOS Auto
..

Os esclarecimentos abaixo são referentes à Tanque de combustível

 
S.O.S. publicado em: 26/07/2005
Enviado por: Rivério Pires (Rio de Janeiro, RJ)
Características do carro: Monza Classic, 1991, gasolina

Dúvida: mandei lavar o tanque de combustível e, em seguida, troquei a bomba. A partir daí o veículo começou a engasgar quando estou com aproximadamente 1/4 da capacidade total do tanque.

Resposta do consultor técnico Carlos Freire: Rivério, se o seu Monza for EFI, o pescador de combustível fica do lado direito do tanque e não junto a bóia. Verifique se o filtro do pescador (parecido com uma rede) não está entupido e se o pescador foi removido _verifique seu corretoposicionamento. Caso o pescador esteja parcialmente entupido ou fora de posição, o carro ficará "dando falta" quando o tanque estiver com pouco combustível.

S.O.S. publicado em: 28/06/2002
Enviado por: Alexandre Nunes de Paula (Campinas, SP)
Características do carro: Monza GLS 2.0 EFI, 1995, gasolina

Dúvida: o meu carro apresentava o seguinte problema: falhas e falta de força durante as acelerações, até que chegou o dia em que ao dar a partida o mesmo não pegou (não escutando o zunido característico da bomba de combustível). Após os devidos reparos na bomba, os defeitos apresentados foram sanados. Porém, surgiu um novo inconveniente: quando a gasolina chega a 1/4 do tanque, o motor apresenta falhas características de falta de combustível, tanto quando o veículo é posto em movimento ou em curvas _defeito este não apresentado quando se abastece ou se trafega em trajetos planos.

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: Alexandre, esse tipo de falha é muito comum e tem como origem o tanque de combustível. No interior do tanque, para se evitar o balanço do combustível em curvas ou em subidas, existe um caneco, o qual tem a função de quebra ondas e, para que este cumpra fielmente a sua função, é necessário que a bomba de combustível tenha pressão e vazão suficiente. Faça as medições em sua bomba de combustível, sendo que a mesma deverá ter 2 bar de pressão e vazão de 1,5l/min. Caso a bomba esteja em ordem, então será necessário a verificação e, talvez, a substituição do tanque de combustível.

S.O.S. publicado em: 05/04/2001
Enviado por: Gilvan Leandro Maia (Campinas, SP)
Características do carro: Monza GLS 2.0 EFI, 1994, álcool

Dúvida: às vezes, meu carro perde potência, onde pequenas ladeiras que percorro em terceira marcha parecem se tornar obstáculos intransponíveis mesmo para a primeira marcha.  Por diversas vezes levei o carro a oficinas, onde foram verificados inúmeros itens, com e sem a utilização de scaners, não descobrindo a provável solução. Algumas vezes este problema aparece após o abastecimento mas, quando o nível se aproxima de 1/4, o desempenho melhora.

Resposta do consultor técnico Luiz Yoshimura: no interior do tanque de combustível existem alguns sistemas que chamamos de quebra-ondas, cuja função é de evitar que o combustível se concentre em algum canto do tanque de combustível nos casos de ruas desniveladas como ladeiras ou mesmo nas situações de aceleração ou desaceleração. Na falta desta função, ocorre o que chamamos de cavitação, ou seja, a bomba de combustível, por não ter o pescador completamente "afogado", passa a coletar ar junto com o combustível, o que torna a mistura muito pobre e o carro perde completamente a força e, muitas vezes, nem ao menos funciona. Presenciei muitos casos de estacionar o carro em local inclinado e pelo fato de o combustível correr todo para a lateral do tanque o carro não pegar mais, sendo necessário abastecer com 10 ou mais litros de combustível para então poder funcionar. No caso do Monza, existe um caneco plástico no centro do tanque em forma de  caracol onde, com o funcionamento, forma um turbilhonamento e o combustível se concentra totalmente no centro deste caneco, exatamente onde se localiza o pescador. Muitas vezes o pescador sai de sua posição original, devendo ser retirado e corrigido. Existe também a possibilidade de o alvo do jato de retorno de combustível ter se alterado e, desta forma, não mais formar o turbilhonamento. Neste caso, seria necessário a substituição do tanque, inclusive no caso de o caneco ter se partido com algum acidente que tenha atingido a parte inferior do tanque de combustível.

Monza Clube do Brasil - Todos os direitos reservados