05 de junho de 2004

A grande festa dos donos de Monza

Eduardo Nicolau/AE
...

Foi amor, digamos, ao primeiro pára-brisa.

William Bertochi, então um adolescente de 17 anos, se apaixonou pelo Monza que pertencia a um primo mais velho. Mas apenas em 1998, com 29 anos, ele finalmente conseguiu comprar o seu, um Monza SL/E 1992 modelo SL/E 2.0 EFI.

"Aí comecei a procurar informações sobre o carro na internet e não achei nada", conta.

Um ano depois, ele fundou o Monza Clube, uma entidade virtual (www.monzaclube.com) que hoje tem 5 mil associados e recebe 20 mil acessos por mês. "As pessoas criam um vínculo com o carro, como se fosse um filho", conta William. Mas a predileção pelo carro não vem apenas do sentimental. Ele até enumera as qualidades do Monza: "Conforto, estabilidade, não é muito 'gastão' e tem agora um preço acessível". O carro fabricado pela GM de 1982 a 1996, já foi o mais vendido do país nos anos 80 por três anos consecutivos. No dia 14 de agosto será realizado aqui na cidade o segundo encontro nacional do Monza Clube e William espera receber cerca de 1.000 monzeiros no evento. A entrada irá custar R$ 2,99 (carros-visitantes), mas quem for de Monza não paga nada. Quem quiser participar dos sorteios deve levar 1 quilo de alimento não-perecível.

(Jornal da Tarde)