07 de agosto de 2004

Um sedã bem popular

Arte Agora
...

GM Monza chegou a ser o carro mais vendido do Brasil e deixou saudades

Até hoje, o Monza possui um bom desempenho no mercado de carros usados. O carro anda bem e o custo de manutenção é razoável, atraindo os motoristas que precisam de um modelo espaçoso, robusto e estão com a grana curta. O Monza surgiu no Brasil em 1981, com carroceria hatch e motor 1.6. Depois, ganhou a versão sedã e propulsores 1.8 e 2.0.

Ele fez sucesso pelo seu estilo jovem, pela boa performance (exceto com o motor 1.6) e pelo ótimo acabamento. Os principais concorrentes _o Ford Del Rey e o VW Santana_ não chegavam a incomodar. No total, foram produzidas 850 mil unidades do modelo. Ele foi substituído pelo Vectra.

Há vários modelos do Monza no mercado. A melhor pedida são os carros da última geração, que começaram a ser produzidos em 1991 e já tinham injeção eletrônica de combustível.

Antes de comprar um, além dos cuidados normais, é preciso verificar as juntas da tampa de válvulas e a do cárter. As peças originais eram de borracha e costumam ressecar. Procure por manchas de óleo nessas duas regiões.

A forração do teto também costuma se soltar, especialmente nos modelos após 1991. Os pivôs da suspensão não gostam dos buracos das ruas e podem apresentar desgaste prematuro.

Após fechar negócio, troque imediatamente a correia dentada, mesmo que ela tenha aparência de nova. Repita a operação a cada 50 mil quilômetros. A quebra da correia pode comprometer o cabeçote e os pistões do motor.

Quem quiser conhecer mais sobre o carro pode acessar o site www.monzaclube.com. Como o nome diz, é uma associação para os fãs do modelo. Lá, os proprietários trocam todo tipo de informação.

O clube vai promover um encontro no dia 14 de agosto em São Paulo, no pátio do Unipare Estacionamento (av. Francisco Matarazzo, 1350, na Barra Funda), das 10h às 18h. Proprietários de Monza entram de graça. Os motoristas de outros carros pagam uma taxa de R$ 2,99. (Eduardo Hiroshi)

(Agora SP _Máquina)